Dieta draconiana: por que evitar extrema perda de peso?

Dieta draconiana: por que evitar extrema perda de peso?

Uma dieta draconiana é caracterizada por uma diminuição muito significativa no número de calorias ingeridas diariamente. Embora, por vezes, dê origem a uma perda extrema de peso, esse tipo de dieta pode ter sérias conseqüências para a saúde: metabolismo lento, deficiências nutricionais ou mesmo distúrbios psicológicos. Neste artigo, descubra por que é imperativo evitar extrema perda de peso. 

Consequências metabólicas de uma dieta draconiana

Em tempos normais e quando a ingestão de energia é padrão, o corpo gasta um certo número de calorias diariamente para funcionar. Estamos falando de gasto de energia. O gasto energético inclui o metabolismo básico, ou a energia necessária para a respiração e o bom funcionamento dos órgãos, e o gasto associado à atividade física diária. 

No final, todo o metabolismo é mais lento e é assim que começa a espiral descendente das dietas draconianas. O corpo resiste e é necessário um déficit calórico cada vez maior para continuar perdendo peso. 

Extrema perda de peso e deficiências nutricionais

Uma dieta draconiana com poucas calorias é necessariamente acompanhada de uma restrição em uma ou mais categorias de alimentos: lipídios, carboidratos ou proteínas. A longo prazo, essa restrição alimentar provavelmente levará a riscos de deficiências nutricionais em macro ou micronutrientes (vitaminas, minerais e oligoelementos). Como resultado, o corpo não pode mais funcionar de maneira ideal e está superexposto a riscos à saúde que devem ser levados muito a sério. Em casos extremos, falamos de desnutrição.

Como reconhecer uma deficiência nutricional? 

Embora cada caso seja diferente, existem alguns sinais de alerta que podem sugerir uma deficiência alimentar. Especialmente se ocorrerem como parte de uma dieta desequilibrada ou de uma dieta drástica. Aqui estão os principais: 

  • Muito cansado 
  • Irritabilidade 
  • Pallor 
  • Falta de ar
  • Perda de cabelo 
  • Perda de apetite 
  • Perda repentina de peso 
  • Frio 
  • Constipação 
  • Dor de cabeça 
  • Pele sem brilho e unhas quebradiças 

Dieta drástica e distúrbios alimentares

Em certos casos e quando a restrição calórica dura ao longo do tempo, isso pode causar distúrbios psicológicos.

Primeiro, o risco de desenvolver distúrbios alimentares é significativo. Está principalmente ligado à dimensão obsessiva que o ato de comer leva a uma dieta drástica. Muita fome também pode levar a compulsões e desejos alimentares que são muito difíceis de controlar. Freqüentemente, as compulsões alimentares geram grande culpa e depois uma restrição cada vez mais severa. E assim por diante 

Se, no início, a perda extrema de peso é muito gratificante, ela pode rapidamente se tornar uma obsessão da qual é muito difícil se livrar. Agora sabemos que muitos casos de anorexia e bulimia começam com uma dieta draconiana que teria dado errado. 

Aumento do risco de ganhar peso após uma dieta restritiva

Como dito anteriormente, uma dieta drástica leva o corpo a economizar energia e armazenar mais. O risco de compulsão alimentar também deve ser adicionado a isso. Esses elementos explicam por que aproximadamente 95% das dietas restritivas levam ao ganho de peso dentro de um ano após a interrupção da dieta. Cuidado, o ganho de peso geralmente é mais importante do que o peso perdido durante a dieta, o que explica o famoso efeito ioiô bem conhecido por muitas pessoas em todo o mundo. 

Além disso, uma dieta draconiana é frequentemente abandonada rapidamente. Passado o entusiasmo pela rápida perda de peso, é necessário enfrentar os fatos: esse tipo de dieta dificilmente é compatível com uma vida social normal e realizada. De fato, o restaurante, as reuniões com os amigos e o prazer de comer geralmente são completamente esquecidos em favor de uma dieta milimétrica. 

Perda de peso: quando se preocupar?

Diante de extrema perda de peso e de uma pessoa com uma dieta drástica, certos sinais devem alarmar e incentivar a consulta. Aqui está uma lista não exaustiva desses sinais: 

  • Fadiga crônica 
  • Perda repentina de peso minimizada pelo indivíduo
  • Deprimido e irritável 
  • Palidez e frio 
  • Atitude obsessiva em relação à comida 
  • Obsessão com peso e pesagem diária 
  • Comida no centro das atenções e conversas
  • Obsessão com atividade física 
  • Disposição para cozinhar muito, para outros 
  • O assunto de comida se torna tabu 

Referência: Sinelim.

Leia também:  DIETAS POPULARES PARA PERDA RÁPIDA DE PESO